Jornacitec Botucatu, IV JORNACITEC

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE HÍBRIDOS DE Eucalyptus urophylla X Eucalyptus grandis EM TERCEIRA ROTAÇÃO PARA FINS ENERGÉTICOS
André Vitor Costa Manso, Renan Speranza Mangialardo, Rafael Ribeiro Soler, Raoni Xavier de Melo, Saulo Philipe Sebastião Guerra

Última alteração: 2015-09-23

Resumo


O setor florestal está em crescente expansão territorial, que pode ser justificado pelo crescimento das principais unidades industriais dos segmentos de celulose e papel, painéis de madeira industrializada, madeira mecanicamente processada e siderurgia. Para a produção de biomassa com fins bioenergéticos o gênero mais utilizado é o Eucalyptus, sendo que, quando utilizado para este fim, pode ser implantado como o sistema florestal de curta rotação. Um fator importante para conduzir um SFCR é o manejo da condução da rebrota, onde Produz madeira de pequeno e médio porte, a execução do corte é simples, facilidade no planejamento da produção de madeira a curto e médio prazo, dispensa o preparo de solo, novo plantio e produção de mudas, ciclos de corte mais curto e menor custo por volume de madeira. Esse trabalho teve como objetivo mensurar os parâmetros dendrométricos, diâmetro à altura do peito (DAP) médio, altura total média e a área basal de uma floresta manejada em sua terceira rotação, colhida ambas as vezes por uma colhedora de biomassa florestal. Com os dados dendrométricos foi realizado o cálculo do DAP médio, altura média e a distribuições das frequências, bem como o cálculo das áreas basais dos indivíduos (gi) e da área basal por hectare (G). Através dos dados coletados concluímos uma perda de desenvolvimento (DAP e Ht) em florestas de terceira rotação e aumento da área basal em relação às florestas de primeiro ciclo.

Texto completo: PDF