Jornacitec Botucatu, IV JORNACITEC

Tamanho da fonte: 
Molho alternativo a base de vegetais
André Kanashiro Ferreira, Flavia Cristina Cavalini

Última alteração: 2015-09-28

Resumo


Na produção de alimentos é muito comum a obtenção de produtos que possuem características organolépticas satisfatórias, porém, não atendem aos padrões de classificação exigidos pelo mercado ou pelo consumidor. Neste sentido, em diversas ocasiões, ocorre o abandono de parte da produção diretamente no campo. Tal abandono também está relacionado, em alguns casos, à baixa quantidade de produtos a serem colhidos, situação em que não compensa sequer o pagamento do frete para transporte. Também, neste caso de abandono da produção no campo, destaca-se a flutuação de preços ao produtor, que quando atinge patamares muito baixos, torna inviável, do ponto de vista econômico a colheita, limpeza, beneficiamento e comercialização desta produção. Na condição de preços muito baixos, em muitos casos a produção é abandonada mesmo em grande volume. A combinação destes fatores pode levar a uma sazonalidade de oferta do produto no mercado, com consequente oscilação de preços ao consumidor e ao produtor. No sentido de diminuir esta situação, busca-se neste trabalho, encontrar uma nova alternativa de aproveitamento da produção hortícola que está em situação de abandono. O trabalho objetiva a utilização de produtos fora do padrão de classificação do mercado ou do consumidor (fator estético), produção em campo abandonada por questões relacionadas ao baixo volume de produção ou margem de lucro insatisfatória ou inexistente. O molho de tomate contém diversas funções na culinária brasileira e mundial, pode ser base para diversos pratos, tempero ou até mesmo para dar mais cor a um determinado prato. No entanto, um dos gargalos relacionados à produção de molho é a variação da produção e do preço da matéria prima. Desta forma, este trabalho foi desenvolvido para criar um novo produto alternativo ao molho de tomate, a partir de matérias primas nobres, mas que são descartados na produção agrícola pelo seu custo ou por não atender padrões estéticos de consumo. Para tanto, utilizou-se a abóbora cabotia, beterraba e cenoura, que permitirá ao produtor obter maior renda à partir da mesma produção e ao consumidor final ter disponível um produto saudável (palatável e saboroso) e com preço acessível. A introdução deste tipo de produto no mercado regional permite também o giro de capital na economia local, trazendo benefícios também aos comerciantes e poder público, via recolhimento de impostos.


Texto completo: PDF